Primeiro aniversário do site!

Por Os Cães do Parque


Os Cães do Parque, como célula organizada de proteção de animais, não tem uma data de fundação, pelo simples motivo que esse trabalho jamais teve um projeto ou um plano de ação: em meados de 2009, simplesmente começou, a princípio de forma rudimentar, por pessoas sem nenhum preparo prévio, que foram aprendendo a medida em que as missões iam aparecendo. No início, era apenas levar alguma assistência aos cães que viviam em estado de completo abandono em um parque público de São Paulo. Em 2010, começamos a promover adoções, utilizando as redes sociais e anúncios em sites e blogs.

Mas foi só em 2011 que passamos a operar nosso próprio site, inaugurado oficialmente em 1º de Julho de 2011.

Para marcar o primeiro aniversário, vamos mostrar esse mês como estão atualmente alguns dos muitos cães e gatos que passaram por aqui.



Chicão

Quando o encontramos abandonado no parque em Janeiro de 2012, já sabíamos que o filhotão bochechudo e de patas gigantescas, seria um cão de grande porte. Adotado pela Magda Scarponi em 29.01.2012, Chicão, que deve ter hoje entre 8 e 9 meses de idade, já é um gigante de incríveis 65 quilos. 

Mimado ao extremo, passa seus dias recebendo a atenção de sua cada vez mais apaixonada 'mãe' adotiva.

Magda e Chicão, no dia da adoção e em Junho de 2012.


Talita

A irmã do Chicão, como ele resgatada no parque em Janeiro de 2012, também cresceu: é uma jovem e bela cadela de pernas longas. Ela mora em Indaiatuba, São Paulo, adotada em 29.01.2012, pelo Carlos Mesquita e sua família. 

Segundo o Carlos nos informa, Talita cresceu mas continua a mesma: desengonçada, bagunceira e cheia de amor pra dar.

Talita: em Janeiro, ainda no parque, e em Junho de 2012.



Sophie (Glorinha)

Ela era a mais mirradinha de uma ninhada de sete cachorrinhos, nascidos em uma comunidade ao lado do parque. Quando foi adotada, em Agosto de 2011, Glorinha pesava apenas 1,6kg.

A Amanda Mendes a rebatizou como 'Sophie' e ela teve até festa de aniversário ao completar seu primeiro ano de vida.

Sophie, no dia em que chegou na casa da Amanda e no seu 1º aniversário.


Niko (Pingo)

Um lorde em forma de vira-lata, o Pingo passou pouco mais de 15 dias com a gente, após ser encontrado sozinho no parque. 

Adotado pela Ana Kormanski em Outubro de 2011, ele passou a atender pelo nome de Niko Kormanski: e rumores dizem que em breve lançará seu primeiro livro, intitulado "Niko, uma história de sucesso".

Niko, a cada dia mais elegante, foi adotado pela Ana em Outubro de 2011.


Jujubee & Pandora (Cacau e Diana)

As irmãs peludinhas Cacau e Diana foram resgatadas e preparadas para adoção por uma protetora do bairro que nos pediu ajuda para encaminhá-las em Abril de 2011. Na época, muita gente quis adotar uma ou outra. Mas as também irmãs Naná e Iaci foram as únicas que, de forma convicta, quiseram adotar as duas juntas.

Mais de um ano depois, agora com os nomes de Jujubee e Pandora, aí estão elas: crescendo juntas e mais lindas do que nunca.

Jujubee, Pandora e as também irmãs Naná e Iaci.


Jack

No dia 1º de Janeiro de 2011, um filhotão poodle muito maltratado apareceu no parque, muito provavelmente abandonado. Mas não chegou sequer a passar uma noite por lá. Resgatado, precisou de algumas semanas de cuidados para estar em condições de ser adotado.

Quando chegou na casa da Luana Czechowski, em 23.01.2011, Jack já estava saudável e bonitinho. Mas ela o transformou nesse cão lindo que nem se lembra que, por menos de um dia, 'esteve' abandonado.

Luana e o lindo Jack, adotado em 2011.


Meu (Charlie)

Com seu ar desprotegido e seus originalíssimos olhos de duas cores, o Charlie fez um sucesso imenso nas redes sociais em Outubro de 2011.

Mas, entre tantas pessoas que o quiseram adotar, houve alguém que o quis mais. A Angélica Reale, na época, tinha um refrão: "eu preciso de alguém para chamar de meu". 

O desejo dela foi atendido: ela recebeu o Charlie em 30 de Outubro de 2011, o rebatizou como "Meu' e ele agora é um dos cães mais mimados da cidade.

Meu: seus olhos continuam os mesmos.


Betina e Gabi

Abandonadas no parque em Novembro de 2011 e encontradas por um vigia que as entregou para nós, as irmãs Betina e Gabi foram castradas uma semana depois, em um mutirão promovido pela dra. Fernanda Conde. De lá, o João Vieira e a Lenylde, que são nossos apoiadores, as levaram pra casa deles apenas para lhes dar lar temporário, até que fossem adotadas.

Porém, como nós só entendemos depois, bicho que entra na casa dos Vieira não sai mais: as irmãs acabaram adotadas por eles e o que deveria ser "temporário", virou mais que definitivo.

Betina e Gabi: lar temporário na casa dos Vieira é coisa que não existe.



Bel

Mais expressiva e arteira de uma ninhada de sete cachorrinhos nascidos numa comunidade ao lado do parque, verdadeira líder da matilha, a peludinha e graciosa Bel teve inúmeros pretendentes.

Em Agosto de 2011, ela chegou à casa da Lúcia Fortini, em Taubaté, SP. A Lúcia diz que a Bel tinha que ser dela, porque elas se parecem em tudo: inclusive - e principalmente - na personalidade. 

Lúcia e Bel: tudo a ver.


Pimenta

Em Setembro de 2010, nós ainda estávamos aprendendo a fazer adoções quando uma 'safra' de filhotes abandonados no parque quase nos enlouqueceu.

Entre eles, a viralatinha mirradinha, de pouco mais de 2 meses, encantou a Rossana Rossoleto, que a adotou em 16 de Outubro de 2010 e a batizou como 'Pimenta'. 

Pimenta cresceu, está uma cadela linda e forte, pesando 20 quilos. Nascida não se sabe onde e abandonada num parque público da Zona Norte, ela mora num bonito apartamento do Morumbi e é companheira inseparável da Rossana.

Pimenta: do abandono para o Morumbi.




Aos que nos mandaram fotos atualizadas de seus cães, agradecemos. E aqueles de quem surrupiamos fotos de seus Facebooks, nossas desculpas (mas temos certeza de que ninguém vai se importar).

4 comentários:

  1. Parabéns, e q seu trabalho continue levando amor e alegria para tantos! Bjs

    ResponderExcluir
  2. fiquei toda arrepiada! Meu sonho é fazer um trabalho desses!! E ainda vou, com certeza!

    ResponderExcluir
  3. Lindos, todos! Tenho duas bolotinhas adotadas, são amores demais. Não existe vida feliz se não tiver, ao menos, um bichinho de estimação.

    Parabéns, sempre.

    ResponderExcluir
  4. Só quem adota sabe como faz bem,não posso dizer por eles mais eu estou nas nuvens

    ResponderExcluir